Caso Rosângela: Polícia ainda não iniciou investigação

A Polícia Civil pretende dá início as investigações para descobrir a autoria e a motivação de um crime que chocou Natal, na manhã da sexta-feira (15). A técnica de enfermagem Rosângela Alves Soares, de 39 anos foi executada com seis tiros no estacionamento de uma farmácia, na avenida Tomaz Landim, no bairro Igapó, zona Norte de Natal. A vítima foi surpreendida por um motoqueiro que chegou ao local e efetuou os disparos de pistola. Característica de execução.

Os agentes e delegado Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa estiveram no cenário do assassinato e confeccionaram o relatório circunstanciado, que se trata do recolhimento de todas as possíveis informações sobre o fato, porém a abertura do inquérito que irá apurar o crime ainda não foi realizada. De acordo com uma fonte da Polícia Civil que conversou com o PortalBO o presidente do inquérito deverá ser o delegado Taveira da DHPP.

Ainda segundo a fonte, até a terça-feira o diretor da divisão vai direcionar a responsabilidade das investigações e intimar pessoas ligadas a vitima para o processo de depoimentos que é de extrema importância para esclarecer a dinâmica do homicídio e identificar a autoria e a razão. Além disso, os investigadores devem contar com imagens de câmeras de segurança de prédios que funcionam nas imediações do endereço do crime.

Rosângela Alves, que era conhecida como “Fofa” morava em São Gonçalo do Amarante, o corpo dela foi sepultado na manhã do sábado (16) em um clima de revolta e comoção. A polícia pede para que quem tiver qualquer informação que possa colaborar com as investigações ligar para o número 181 o disque denúncia ou para o telefone da DHPP o 3232 1195.

PORTAL BO

Postado em 17 de outubro de 2021 - 10:32h