Após reunião com o governo, policiais civis suspendem paralisação das diárias operacionais

Policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram interromper o movimento da paralisação das diárias operacionais e retornar ao serviço extraordinário — Foto: Vanessa Camilo/Inter TV Cabugi

Os policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram interromper o movimento da paralisação das diárias operacionais e retornar ao serviço extraordinário. A decisão foi tomada em assembleia após uma reunião com representantes do governo do estado na tarde desta sexta (9).

paralisação começou na última quarta-feira e suspendeu o atendimento ao público em delegacias, investigações, cumprimento de intimações e outras demandas administrativas.

De acordo com o Sinpol, representantes do Executivo informaram e colocaram em documento assinado que, na próxima quinta-feira (15), o governo vai sentar para resolver a situação do Crédito Remuneratório Individual (CRI/antigo ADTS) dos policiais civis, que atualmente é alvo de uma demanda judicial.

“A resolução desse problema do CRI é uma das maiores urgências, pois ela pode implicar em redução de salário”, comenta Nilton Arruda, presidente do Sinpol.

Segundo ele, o Estado também se comprometeu a retomar as tratativas do auxílio-alimentação.

“O governo informou que já enviou à Assembleia Legislativa o projeto do auxílio-fardamento e, na próxima semana, retomará a negociação do auxílio-alimentação. Então, esperamos concretizar também este ponto da pauta de reivindicações”, ressalta.

O governo já havia confirmado também que as nomeações dos formados na segunda turma do Curso de Formação serão feitas no dia 21. O quantitativo de nomeados, no entanto, ainda não foi definido.

Diárias operacionais

De acordo com o Sinpol, devido ao baixo efetivo, a Polícia Civil do RN tem muitas delegacias que só conseguem funcionar por causa da voluntariedade dos servidores, que aceitam trabalhar além da carga horária estabelecida em lei em troca do recebimento de diárias operacionais.

“Sem a realização das diárias operacionais por parte dos policiais civis, a funcionalidade da Polícia Civil estará comprometida”, diz o Sinpol.

G1RN

Postado em 10 de fevereiro de 2024 - 10:22h