Envolvidos no assassinato do vigilante do IFRN em Apodi são condenados a 35 anos de prisão

Os dois homens acusados de envolvimento no assassinato do vigilante do IFRN Francisco Cabral Neto, de 52 anos, foram condenados a 35 anos de prisão em julgamento ocorrido nesta quinta feira(2) em Mossoró RN.

José Edilson Pereira da Silva, apontado como mandante do crime, pegou 21 anos, 09 meses e 10 dias de prisão, enquanto Igor Vinicius De Lima Neris, que seria o intermediador da morte do vigilante, foi sentenciado a 13 anos,06 meses e 20 dias de reclusão.

Os dois também recebram condenação por corrupção de menor, uma vez que foi um adolescente que executou a ordem para matar Francisco Cabral, assassinado a tiros, durante emboscada no 11 de abril de 2017 na cidade de Apodi, na região Oeste potiguar.

José Edilson, mais conhecido como ‘Gordo’, que também é vigilante, teria mandado matar o colega para poder ficar com a vaga dele no emprego. Já Igor Vinícius de Lima Neris, o ‘Bigulão’, teria contratado o adolescente de 17 anos, para matar o vigilante. O julgamento que começou às 08h30min só terminou às 16h30min

FIM DA LINHA

Imagem

Postado em 3 de maio de 2019 - 8:55h