Operação Okinawa: PCRN elucida e detalha “crime de homicídio de lutador de Karatê”

Agentes Civis da DHPP no dia 19/06, cumpriram mandados de prisões temporária em desfavor de: Paulo Diego Barbosa Reinaldo, Jackson Alves da Silva e Ney Robson Carlos, pela prática do homicídio que vitimou George Luís da Silva que era ex-lutador de Karatê em janeiro deste ano.

O crime ocorreu em um bar no Conjunto de Cidade Satélite em Natal, onde George estava sentado de costas para a via pública e foi alvejado, pelo passageiro de um veículo que parou em frente ao local.

Na ação, denominada Operação Okinawa a DHPP indiciou Paulo Diego, que foi o motorista do veículo no momento do crime, o Cabo da Polícia Militar Jackson Alves, o dono do veículo utilizado e Ney Robson, o que fez os disparos.

Os 03 elementos já estavam presos em razão de outros crimes, no Presídio Rogério Coutinho Madruga em Alcaçuz em Nísia Floresta.

No interrogatório na Delegacia o Ney Robson confessou o crime e disse, que matou George porque ele havia lhe dado “uns tapas” há 15 anos.

O criminoso também confessou que praticava tráfico de drogas e que era, o dono de cerca de 03 toneladas de maconha que foram apreendidas neste ano pela Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (DEFUR) em Macaíba.

Com as investigações, apontaram-se que o Paulo Diego e Jackson eram os “seguranças” de Ney.

Estes elementos já eram investigados pela DEFUR por crimes de roubos, tráfico de drogas, associação ao tráfico e organização criminosa.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anonima através do 181.

JAIR SAMPAIO

Postado em 21 de junho de 2019 - 11:14h