Família de mulher baleada no rosto questiona quem seria o atirador

O caso da jovem Renata Ranyelle, 23 anos, atingida por um tiro no rosto enquanto trabalhava em uma loja em São Miguel, a 433 quilômetros de distância de Natal, ainda é cercado de mistério. Renata continua internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Tarcísio Maia, em Mossoró. Quem é o homem de capacete e roupa pretos que entrou no estabelecimento e atirou em Renata? Esse é o questionamento que os familiares fazem.

A vendedora foi baleada no sábado (23) dentro do estabelecimento onde trabalha. Rita Almeida, tia da vítima, diz que não entende o que aconteceu. “Não entendemos, não suspeitamos de ninguém, porque não podemos julgar. Não tenho nem palavras para falar sobre o que houve. Pensamos primeiro que tinha sido um assalto, mas não foi. Dá para ver nas imagens, ele afastando o dinheiro e atirando nela”, disse a tia.

Leia também:
Vendedora é baleada no rosto em suposto assalto a loja. Assista!

Após passar três dias em uma ala do centro cirúrgico do Hospital Regional Tarcísio Maia, Renata Ranyelle foi transferida para a UTI. O estado de saúde dela é considerado grave, porém estável.

O homem que aparece nas imagens de câmeras de segurança ainda não foi identificado. A polícia trabalha com a possibilidade do homem ter simulado o assalto para assassinar a vítima. “As imagens são claras, ele entrou lá para matar Renata e não para assaltar”, afirma o delegado Cristiano Gouvêa, que investiga o caso.

OP9/RN

Postado em 27 de novembro de 2019 - 16:51h