Em ato, servidores da Saúde cobram melhoria de condições de trabalho e pedem para a população ficar em casa em Natal

Os servidores da saúde que atuam no combate ao novo coronavírus nas unidades do Rio Grande do Norte fizeram uma manifestação na manhã desta quarta-feira (12). Segurando cruzes e cartazes que pediam valorização da categoria e endurecimento das medidas de isolamento, os profissionais da saúde se reuniram na frente do Hospital Santa Catarina, na Zona Norte de Natal.

A categoria cobra um aumento no fornecimento de equipamentos de segurança individual como máscaras e capotes, testes para diagnóstico da Covid-19 para todos os servidores que estão lidando diretamente com os pacientes contaminados com a doença, além do pagamento de salários atrasados referentes ao ano de 2018 e adicionais de insalubridade.

“Estamos usando uma máscara N95 por até 14 dias quando o ideal seria usá-la por um turno. Os EPIs que recebemos não têm boa qualidade e alguns não são impermeáveis. Os profissionais que tiveram contato com outros servidores afastados por Covid-19 não estão sendo testados. É complicado porque nós estamos correndo risco de levar o vírus os nossos familiares em casa”, destaca diretor-geral do Sindsaúde Manoel Egídio.

Profissionais pedem para pessoas ficarem em casa — Foto: Sindsaúde/Reprodução

Profissionais pedem para pessoas ficarem em casa — Foto: Sindsaúde/Reprodução

O Sindicato dos Servidores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde), representado por Manoel Egídio, é favorável ao endurecimento das normas de isolamento social. Segundo o órgão, o Hospital Walfredo Gurgel, que é especializado em atendimento de traumas, vem registrando aumento nos procedimentos cirúrgicos.

“Nessas últimas semanas, estamos atendendo muita gente que sofreu acidente de trânsito e também vindas de ocorrências policiais. É sinal de que mais gente está nas ruas depois da flexibilização do comércio. A gente tem contato com essas pessoas e não sabemos o histórico delas. Por isso a gente faz esse apelo para que as pessoas fiquem em casa”, completa Manoel Egídio.

A reportagem do G1 entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) para repercutir a denúncia dos servidores e aguarda a resposta da pasta, que prometeu se pronunciar por meio de nota.

G1/RN

Protesto dos servidores da saúde em Natal — Foto: Luiz Gustavo Ribeira/Inter TV Cabugi

Postado em 13 de maio de 2020 - 15:27h