Idosa de 109 anos aguarda quase 24h por leito no Walfredo Gurgel e família reclama de situação: ‘Muito preocupante’

Idosa aguardou quase 24h por internação. Ela ficou nos corredores e familiares reclamaram de situação — Foto: Cedida

Uma idosa de 109 anos precisou aguardar quase 24h nos corredores do Hospital Walfredo Gurgel, em Natal, antes de conseguir um leito para internação. Devidamente alojada na unidade médica, ela precisará passar por um procedimento cirúrgico que ainda não tem data para ocorrer.

A idosa precisou procurar atendimento na unidade após sofrer uma queda e fraturar o fêmur. Ela foi uma das 80 pacientes que aguardavam no corredor por um leito na unidade superlotada.

“Ela deu entrada no dia 10 com fratura no fêmur. Ela ficou perto ao elevador, perto a um depósito de lixo. Hoje ela conseguiu leito, mas está na espera da cirurgia. Ninguém confirma data, ninguém fala nada. É bem preocupante”, afirmou a neta da idosa, que a acompanha na unidade médica.

Ela é apenas uma das pacientes que sofrem com as atuais condições na principal unidade pública de saúde do estado. A situação foi acentuada com a greve dos anestesistas desde meados de dezembro. Os profissionais reclamam da falta de pagamento do Governo do Estado e Prefeitura de Natal.

“Esse período vivemos a excepcionalidade da greve. Mas a superlotação dentro dos hospitais é frequente, mas a situação foi acentuada. Pacientes estão há mais de 15 dias, esperando cirurgias. São idosos amontoados em macas, é uma situação muito preocupante”, afirma Rosália Fernandes, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do RN (Sindsaúde/RN).

A reportagem da InterTV Cabugi esteve no Walfredo Gurgel na manhã desta quinta-feira (12) e pôde atestar as dificuldades que pacientes estão passando. Foi possível observar um acompanhante sentado em uma cadeira de praia.

No local, um profissional do SAMU não conseguiu transitar no corredor, tomado por macas nos dois lados. Um cadeirante também teve dificuldades de locomoção. Acompanhantes reclamaram da falta de itens básicos como lençol e comida.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap), a idosa está “listada como prioridade” para que o procedimento seja realizado. A pasta afirmou que a fila não está andando da forma adequada devido à greve dos anestesistas.

A Secretaria afirmou que realizou um acordo junto à cooperativa dos anestesistas para a retomada dos serviços e afirmou que o município de Natal, que operacionaliza o serviço, não compareceu à reunião.

Por sua vez, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS/Natal), afirmou que não foi convidado para a reunião e que se reunirá na sexta-feira com a categoria. O município afirma já ter feito um repasse de R$ 1,9 milhão após a paralisação da categoria.

Confira íntegra de nota da Sesap:

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA

A Secretaria de Estado da Saúde Pública e o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel esclarecem que a paciente citada está listada como prioridade para realização do procedimento.

O andamento da fila segue comprometido pela situação junto aos anestesiologistas. No início da semana a Sesap acertou junto à cooperativa um acordo para a retomada dos serviços, que são operacionalizados através do contrato firmado entre a prefeitura de Natal e os médicos.

A cooperativa respondeu à proposta condicionando a retomada das atividades ao pagamento da parte do contrato que é operada pela gestão municipal, que não compareceu na reunião.

Confira íntegra de nota da SMS/Natal

Como dito em entrevista, o Secretário de Saúde Municipal não foi convidado para reunião que ocorreu na segunda-feira(9), a reunião que a SMS Natal tem agendada com a Coopanest está marcada para sexta feira, às 9:00 horas. Após a paralisação dos serviços dos anestesiologistas a SMS Natal efetuou pagamentos na ordem de R$ 1.958.714,41.

G1RN

Pacientes reclamam de atendimento no Walfredo Gurgel — Foto: Cedida
Postado em 12 de janeiro de 2023 - 16:27h