PF e Receita Federal cumprem mandados no RN e PB em operação que apura extração e venda irregular de minérios

PF e Receita Federal cumprem mandados no RN e PB em operação que apura extração e venda irregular de minérios — Foto: Receita Federal/Divulgação

A Receita Federal e a Polícia Federal deflagraram nesta quarta-feira (17) uma operação com o objetivo de combater a extração e venda irregular de minérios, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. Foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão nas residências dos sócios e nas empresas investigadas no Rio Grande do Norte e na Paraíba.

No RN foram cumpridos três mandados em Parelhas, na região do Seridó. Já na Paraíba, foram cumpridos dois mandados em Campina Grande e 1 em Junco do Seridó.

O Delegado da Receita Federal em Natal, Wyllo Marques, explicou que a operação apura supostos crimes contra a legislação ambiental e também contra a ordem tributária, como sonegação fiscal, cometido por mineradoras do Rio Grande do Norte.

“Essas mineradoras se valiam de pequenas empresas para burlar a legislação ambiental se valendo de áreas sem autorização para extração de minério, assim como a contabilização irregular dessas compras e vendas com forte indício de sonegação fiscal”, disse.

A operação denominada Cordyceps teve início após uma investigação revelar indícios de extração de minérios sem autorização legal e da aquisição da extração irregular de pequenos produtores locais, que são então beneficiados e comercializados com empresas nacionais e do exterior.

Com os mandados de busca e apreensão, as equipes buscam comprovar indícios de contabilização irregular de despesas operacionais, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro por parte dos investigados. As empresas que são alvo dos mandados não foram divulgadas.

A Seção Especial de Pesquisa e Investigação de Natal, a equipe de Fiscalização com Fraudes Estruturadas e a Divisão de Vigilância e Repressão participam do cumprimento dos mandados de busca e apreensão.

Operação Cordyceps

O nome da operação, Cordyceps, refere-se a um fungo que se apodera do controle de alguns insetos e os faz agirem em seu interesse. Do mesmo modo, os investigados se utilizam de pequenos produtores locais para explorar irregularmente minérios, que são então beneficiados e comercializados pelas empresas.

G1RN

Postado em 17 de maio de 2023 - 12:36h