RN registra 4,4 mil casos notificados de dengue até abril, diz Sesap

Mosquito Aedes aegypti. — Foto: Lauren Bishop

O Rio Grande do Norte registrou 4.469 casos notificados de dengue entre janeiro e abril deste ano. É o que aponta o informe epidemiológico das arboviroses divulgado nesta terça-feira (9) pela Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap-RN).

Os números foram coletados até o dia 26 de abril deste ano.

Desse total de casos de dengue, 661 casos foram confirmados. A Sesap informou que 3.543 casos são considerados prováveis e 926 descartados.

“Em relação aos casos notificados de dengue, observamos um aumento ao longo das semanas epidemiológicas. Percebemos também que o sorotipo 2 da dengue é o que permanece em circulação no estado”, explicou a responsável técnica pelo Programa Estadual de Controle da Dengue, Sílvia Dinara.

Nenhum óbito por dengue foi confirmado no estado neste período, mas cinco estão em processo de investigação.

De acordo com a Sesap, incidência apresentada foi de 99,50 casos prováveis por 100 mil habitantes.

Chikungunya

Já em relação à Chikungunya, foram 1.652 casos notificados da doença, sendo confirmados 173 e outros 1.341 casos considerados prováveis. A Sesap informou ainda que 311 foram descartados.

A doença não registrou nenhum óbito confirmado, mas um está em processo de investigação.

A incidência foi de 37,66 casos prováveis por 100 mil habitantes.

Zika vírus

Neste mesmo período, a zika teve 480 casos notificados da doença, sendo confirmados 15. Há 401 casos considerados prováveis e 79 foram descartados. Nenhum óbito também confirmado e não há nenhum em processo de investigação.

A incidência foi de 11,30 casos prováveis por 100 mil habitantes.

A responsável técnica pelo programa de Controle da Dengue disse ter notado uma evolução no consecutiva nos casos de chikungunya e zika.

“A Zika é preocupante principalmente em relação às gestantes, devido às más formações congênitas provocadas por esse vírus. Diante desse cenário, é muito importante colocar as ações de prevenção em prática, sobretudo no período atual, quando ocorre um grande aumento da população do mosquito Aedes Aegypti, em função da combinação das altas temperaturas e chuvas”, reforçou.

Prevenção

A Sesap informou algumas medidas simples de prevenção, como evitar a formação de criadouros do mosquito nas residências e locais de trabalho.

É importante observar os locais que possam acumular água parada como bandeja de bebedouros e de geladeiras, ralos, pias e vasos sanitários sem uso e:

  • manter os quintais livres de possíveis criadouros do mosquito;
  • esfregar com bucha as vasilhas ou reservatórios de água dos animais;
  • não colocar lixo em terrenos baldios;
  • manter as caixas d´água sempre tampadas;
  • observar vasos e pratos de plantas que acumulam água parada;
  • manter em local coberto pneus inservíveis e outros objetos que possam acumular água;
  • receber a visita do agente de endemias.

Sintomas das arboviroses

Os sintomas iniciais das arboviroses podem ser semelhantes e às vezes não tão específicos, importante observar a diferenciação dos sintomas para que se possa conduzir o tratamento do caso de forma adequada.

Entre os principais sintomas estão: febre, manchas na pele, dores nos músculos e inchaço nas articulações, além de conjuntivite, dor de cabeça, e coceira.

“As pessoas que apresentarem algum desses sintomas devem procurar o quanto antes um serviço de saúde. Principalmente em relação à dengue, é importante que a assistência seja iniciada em tempo oportuno, para evitar a evolução da doença para as formas graves e sobretudo o óbito”, ressaltou Sílvia Dinara.

G1RN

Postado em 9 de maio de 2023 - 16:38h